Cuiabá (MT), 16 de outubro de 2021 - 01:13

? ºC Cuiabá - MT

Análise e Opinião.

09/09/2021 09:43

NÃO DEIXE QUE A PERFEIÇÃO SEJA O INIMIGO DA PRODUTIVIDADE

Produtividade não é sobre produzir mais. É sobre o quê você realiza. Três aspectos do perfeccionismo podem interferir na sua capacidade de priorizar as tarefas mais importantes.

1. Você está relutante em designar decisões como "sem importância".

Há um argumento de que, para decisões sem importância, você deve decidir rapidamente ou terceirizar a decisão.

Mas os perfeccionistas têm dificuldade em designar decisões como sem importância. Eles gostam de estar no controle de tudo. Por quê? Porque as imperfeições os incomodam mais do que as outras pessoas. Se algo der errado, os perfeccionistas podem sentir frustração explosiva ou uma sensação de irritação que é difícil de ignorar, e eles não querem correr esse risco.

Às vezes, os perfeccionistas estão tão acostumados a microgestão que nem sequer ocorre a eles que qualquer decisão não é importante. Eles são cegos para isso. Eles habitualmente e automaticamente classificam tudo como digno de seu esforço total.

Solução: Na vida moderna, a fadiga de decisão pode ser intensa. Um perfeccionista pode aprender a amar desistir do controle sobre algumas escolhas se prestar atenção ao quão bom é ser aliviado do fardo de tomada de decisão.

Experimente usando heurísticas para decidir rapidamente ou delegue com a expectativa de que você terá decisões muito mais rápidas e muito boas em geral, mas não perfeitas. Por exemplo, uma das minhas heurísticas é: se eu já pensei em fazer algo três vezes, eu vou continuar e fazê-lo sem mais deliberar. Para obter uma matriz de tomada de decisão útil, consulte este tweet.

2. Você se sente moralmente obrigado a sobrecarregar.

A crença de que você precisa superar as expectativas em qualquer situação pode se manifestar de várias maneiras.

Digamos que alguém se ofereça para pagar US $1.000 por um serviço. Se você é um perfeccionista, fornecer US $1,000 de valor pode não parecer suficiente. Você pode pensar que você precisa dar o que seus concorrentes cobrariam US $1.500 porque você quer superar. Você pensa: "Se eu não sobrecarregar, estou subentregando."

Ou se você julgar que 24 horas é um prazo respeitável para responder ao e-mail de um colega, você pode definir seu próprio bar em dentro de seis horas. O ponto chave é que você acredita que o que é geralmente razoável não se aplica a você, e seu próprio padrão precisa ser diferente.

Às vezes, essa linha de pensamento vem de querer uma almofada excessiva; por exemplo, você pensa "se eu quiser entregar 1.5X ou 2X valor para todos os serviços que eu presto, então eu nunca vou sob-entregar." Também pode ser impulsionado pela ansiedade, insegurança ou síndrome do impostor; por exemplo, você acha que a única maneira de evitar que alguém fique decepcionado ou infeliz com você é sempre superando as expectativas. Os perfeccionistas também às vezes imaginam que haverá consequências catastróficas se não conseguirem entregar demais; por exemplo, eles se preocupam que um cliente não quer trabalhar com eles se levarem um dia para responder a uma solicitação de e-mail, mesmo que seja uma consulta não urgente e estejam satisfeitos com tudo o resto.

Solução: Tenha um plano para como você corrigirá se você notar esses padrões de pensamento. Entenda o que está custando para você sempre apontar para o desempenho superior. Para que mais você não tem tempo, energia, atenção e força de vontade? Talvez sua própria saúde, seus grandes objetivos ou sua família. Se você avaliar que os custos são significativos, tente ter uma regra geral para quando você vai sobrecarregar. Por exemplo, você pode decidir que em três em cada dez situações em que você tem o desejo de fazê-lo, você vai, mas não nas outras sete.

Hábitos específicos da situação também podem ajudá-lo. Por exemplo, se um repórter me enviar mais de seis perguntas para um artigo em que eles estão trabalhando, geralmente responderei seis ou mais perguntas em detalhes, e ou minimamente responder ou pular as outras. (Eu provavelmente dou melhor respostas usando esta estratégia porque eu me concentro nas áreas em que eu tenho as coisas mais interessantes a dizer.)

3. Você fica excessivamente irritado quando você não é 100% consistente com bons hábitos.

Quando os perfeccionistas querem adotar novos hábitos, eles tendem a se enquadrar em uma das três categorias. Eles mordem mais do que podem mastigar e seus planos são demasiado onerosos para gerenciar; eles evitam iniciar qualquer hábito, a menos que eles tenham 100% de certeza de que podem atingir seu objetivo todos os dias, o que leva à procrastinação; ou eles assumem apenas os hábitos que eles podem manter não importa o que.

A flexibilidade é uma marca registrada da saúde psicológica. Você precisa ter a capacidade de tirar um dia de folga da academia quando você está doente ou apenas saiu de um vôo atrasado, mesmo que significa quebrar uma raia. Você também deve ser capaz de se afastar de hábitos que já foram importantes para sua produtividade ou desenvolvimento de habilidades, mas que você superou. Talvez como um blogueiro iniciante, você prometeu sempre postar três vezes por semana, mas agora isso está queimando você ou, como um novo investidor imobiliário, você sempre participou de um encontro mensal, mas agora você começa pouco fora disso.

Às vezes, o comportamento mais disciplinado (desviando de um hábito arraigado ou padrão de comportamento) se parece com o menos disciplinado (fazendo uma pausa). Mas quando a autodisciplina convencional se transforma em compulsão, os perfeccionistas podem realmente ser retidos por ela.

Solução: Tenha um mecanismo para verificar se você não está aderindo a um hábito só porque você está adorando no altar da autodisciplina. Se você nunca perdeu um treino em dois anos (ou qualquer outro hábito), é provável que houvesse alguns dias em que fazê-lo não foi o melhor uso do seu tempo. Reveja regularmente o custo de oportunidade de quaisquer atividades ou comportamentos que você faça diligentemente para garantir que eles são atualmente o melhor uso de sua energia física e mental.

O perfeccionismo é muitas vezes impulsionado pelo esforço pela excelência, mas pode ser auto-sabotante se levar a comportamentos subótimais como continuar hábitos além da sua utilidade, sobre a entrega excessiva quando você não precisa, ou pensar demais todas as decisões que toma.

Da redacao:  Patricia Bueno Mussi.


Fonte: Jornal do Empreendedor


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102

Patricia Bueno Mussi
[email protected]

 

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo