Cuiabá (MT), 07 de dezembro de 2019 - 02:39

? ºC Cuiabá - MT

Polícia

29/11/2019 14:13

Jornalista é indiciado pela Polícia Civil por crimes sexuais contra mulheres

Redação do GD

O jornalista Leonardo Heitor Miranda, 38, foi indiciado pelos crimes de estupro tentado, importunação sexual, ameaça, gravação não autorizada da intimidade sexual e descumprimento de medida protetiva de urgência. Nesta semana, a Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) concluiu 5 inquéritos de crimes cometidos pelo investigado.

Até a manhã desta sexta-feira (29), 10 boletins de ocorrência foram registrados contra Leonardo por crimes contra a dignidade sexual de mulheres. Os inquéritos foram encaminhados ao Ministério Público Estadual (MPE), que poderá denunciá-lo à Justiça. 

 

 

Leia também - Justiça concede HC para acusado de matar empresário em posto de combustível

 

Conforme a delegada Nubya Beatriz Gomes dos Reis, responsável pelas investigações, foi necessário pedir a prisão dele após ele ter descumprido uma medida protetiva contra uma das vítimas, que recebeu a medida em grau de urgência tendo em vista que teve um relacionamento com o rapaz.

 

Como já noticiado pelo , ele foi preso na segunda-feira (25) após ser comprovado que ele esteve no local de trabalho da vítima e ainda feito ameaças. Na medida protetiva, ele fica proibido de se aproximar da vítima, seja em casa ou no local de trabalho.  

 

“Diante dos fatos devidamente comprovados por depoimento de testemunha, interrompemos as conclusões das investigações e imediatamente foi representada pela prisão preventiva do suspeito, sendo que na última segunda feira (25.11), acompanhada por um agente da Polícia Federal e policiais da Dedm, realizamos a prisão do investigado no aeroporto de Várzea Grande, quando ele retornava ao estado. Ressaltamos que a medida protetiva é ordem judicial, e como tal, deve ser cumprida. Caso o investigado queira contestar a decisão, ele deve usar os meios legais junto ao Poder Judiciário para tentar revertê-la, e não deixar de cumpri-la por entender ser injusta”, esclareceu a delegada. 

 

Investigação

Durante as investigações, a delegada reuniu material probatório com oitivas de diversas testemunhas, análises de mensagens trocadas entre vítimas e suspeitos, além da quebra de sigilos que comprovam que as mensagens partiram de telefones registrados no nome de Leonardo.

 

“Com a conclusão dos inquéritos posso afirmar que as ações do suspeito não limitaram-se apenas a incomodar, perturbar ou molestar suas colegas jornalistas com mensagens de cunho sexual. Em um dos casos, uma das vítimas foi socorrida por amigos quando Leonardo tentava estuprá-la. Em outra situação, sem autorização de uma das vítimas, o investigado filmou o ato sexual entre eles e manteve o conteúdo em seu poder”, informou a delegada Nubya Beatriz. 

 

 

Os casos de menor complexidade foram encaminhados ao Juizado Especial da Capital, logo no início das investigações. A Delegacia da Mulher identificou registros de ocorrências de crimes sexuais contra o investigado no estado do Espírito Santo e no Distrito Federal.

 

“Parabenizo a equipe e Núcleo de Inteligência que se empenhou nas investigações, que contaram com apoio da Diretoria de Inteligência, sem o qual seria impossível a realização da prisão do suspeito”, finaliza a delegada. (Com informações da assessoria de imprensa)


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102
redacao@maxnoticias.com.br

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo