Cuiabá (MT), 25 de outubro de 2020 - 22:01

? ºC Cuiabá - MT

Noticias

07/10/2020 16:05

Suposto líder, ex-PM tem extensa ficha criminal, diz Gaeco

Um ex-policial militar – cuja identidade não foi revelada – é apontado pelo Ministério Público Estadual (MPE) como sendo o líder da organização criminosa acusada de fraudar o seguro DPVAT em Mato Grosso.

DPVAT é o seguro obrigatório pago por todo proprietário de veículo e serve para indenizar vítimas de acidentes de trânsito.

Segundo as investigações do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), o ex-PM “ostenta vasta ficha de antecedentes criminais”.

Ele foi um dos alvos Operação Apate, deflagrada pelo Gaeco na manhã desta quarta-feira (7), com o objetivo de desmantelar a organização criminosa especializada em fraudes contra a Seguradora Líder, que é responsável por recolher as taxas do DPVAT e pagar as indenizações.

Ainda conforme as investigações, existem integrantes da organização com condenações criminais e alguns deles com vários procedimentos investigatórios por crimes da mesma espécie – como estelionatos contra a Seguradora Líder.

O ex-PM “ostenta vasta ficha de antecedentes criminais”

Modus operandi

De acordo com as investigações, a organização criminosa especializou-se em fraudes documentais sofisticadas, tais como: falsificações de documentos públicos de certidões de nascimento, casamento e óbito, de laudos de exames necroscópicos e boletins de ocorrências.

Assim, instruíam os requerimentos indenizatórios, e os encaminhavam à Seguradora Líder, para a obtenção indevida dos valores de indenizações securitárias decorrentes de supostos acidentes de trânsito (Seguro DPVAT).

Operação Apate

Nesta manhã, o Gaeco cumpriu 34 mandados de judiciais para bloqueio de contas dos investigados, sequestro judicial de imóveis e veículos utilizados pelos investigados. 

Ainda foram cumpridos sete de prisões preventivas, bem como duas ordens para colocação de tornozeleira eletrônica.

Os mandados foram expedidos pela magistrada Ana Cristina Mendes, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

O nome da operação é uma alusão à mitologia grega, segundo a qual Apate (em grego Ἀπάτη) era um espírito que personificava o engano, o dolo e a fraude.

Fonte:https://www.midianews.com.br/


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102

Patricia Bueno Mussi
redacao@maxnoticias.com.br

 

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo