Cuiabá (MT), 12 de abril de 2021 - 19:19

? ºC Cuiabá - MT

Noticias

19/02/2020 09:12

Pros Nacional destinou R$ 791 mil a candidatos de MT em 2018

A direção nacional do Pros (Partido Republicano da Ordem Social), que está sendo investigada por superfaturamento e lavagem de dinheiro, destinou cerca de 791 mil a candidatos da sigla na eleição de 2018 em Mato Grosso.

No centro da investigação está o dirigente partidário Eurípedes Júnior, destituído recentemente do posto. O caso foi denunciado pelo programa Fantástico, no domingo (16), que apontou mau uso do fundo eleitoral.

No esquema, o programa jornalístico revelou que candidatos do Pros denunciaram que o partido lançou nas prestações de contas de campanhas dinheiro que eles nunca receberam.

Consta o total de 37 candidatos no Distrito Federal vítimas de superfaturamento, com contas infladas, com 10 a 20 vezes mais do que os candidatos realmente receberam.

Nas eleições de 2018, segundo levantamento do MidiaNews, a Direção Nacional destinou R$ 791 mil para oito candidatos a deputado federal e estadual em Mato Grosso. Não há acusação de irregularidades nos repasses.

Quatro candidatos a federal receberam um total R$ 637 mil. Das postulações, duas apresentam votações baixas.

Na disputa à Assembleia Legislativa outros quatro nomes foram ajudados pela direção investigada, totalizando R$ 154 mil em repasses.

O então candidato a federal Adauton César de Almeida, o Adauton Tuim, recebeu da direção nacional do Pros a quantia de R$ 232.500, o que representou 92,74% das doações. Ele foi o candidato que mais recebeu dinheiro da nacional. Tuim obteve 4.427 votos no pleito.

A então candidata Joquebedy Ribeiro Mourão Alves, a Joquebedy Mourão, recebeu da direção nacional o valor de R$ 137.500, o que representou 93.32% das doações recebidas por ela. A candidata teve o total de 2.589 votos.

O outro então candidato do Pros a receber dinheiro da direção nacional foi o policial federal Rafael Ranalli, que ficou com o valor de R$ 142.395,50, o que representou 44,21% das doações recebidas. Ele teve 33.523 votos.

A chefe do Procon Gisela Simona Viana de Souza, que ficou como suplente, recebeu o valor de R$ 125.000, o que representou 43,21% das doações recebidas. Ela obteve 50.682 votos.

Deputado estadual

Na disputa a Assembleia Legislativa, o Pros em Mato Grosso lançou 11 candidatos. Destas, uma das candidaturas foi indeferida pela Justiça Eleitoral. Desse volume um candidato foi eleito, o deputado João Batista, que não recebeu dinheiro do diretório nacional.

Entres os que receberam dinheiro do diretório nacional do Pros, estão:

Claudenir Coelho Marçal, a Kall Marçal, recebeu R$ 60.000. Ela obteve 372 votos.

Steffany Anjos da Silva, a Guarda Stefany Anjos, o valor de R$ 41.835. Ela obteve 1.809 votos.

Dianyeire Dias de Souza, a Diany Dias, a quantia de R$ 32.500. Ela teve 1.465 votos.

Hector Péricles de Castro, o Coronel Hector, com a quantia de R$ 20.000, obteve 1.015 votos.

Fonte:https://www.midianews.com.br/


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102

Patricia Bueno Mussi
redacao@maxnoticias.com.br

 

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo