Cuiabá (MT), 25 de agosto de 2019 - 18:50

? ºC Cuiabá - MT

Noticias

Brasil 19/07/2019 15:53 Da assessoria

Como o E-commerce vai revolucionar o varejo nos próximos anos

Como o E-commerce vai revolucionar o varejo nos próximos anos

Você já se perguntou como estará o mundo daqui 10 anos? Lembra de como era o mundo há 15 anos atrás?

Realmente, vivemos em um tempo onde a transformação está ocorrendo a todo instante. Com a chegada da internet, a vida da população mudou. As conversas na rua sob o luar, foram substituídas pelas conversas no smartphone.

A televisão aberta, aos poucos vai sendo substituída pelos canais pagos. As videolocadoras foram substituídas pelo Netflix. As gravadoras, foram perdendo seu espaço para o spotify. O mundo está mudando. E muito rapidamente.

O e-commerce já começa a mostrar sua força ano após ano. Segmentos do varejo físico estão cada vez mais declinando. Quais serão os setores que irão sobreviver? Quais os setores que daqui 10 anos simplesmente desaparecerão?

 

A transformação digital no comércio varejista

Estamos no ano de 2019. Até aproximadamente, 2012 a internet, apesar dos grandes avanços, pouco havia incomodado o comércio varejista. Os hábitos de consumo, ainda eram físicos, digamos assim.

Foi, com o surgimento e proliferação do smartphone que o mundo começou a sofrer as suas primeiras transformações. Um dos primeiros segmentos, que hoje começa a sentir, e que talvez não mais existirá daqui 10 anos é o editorial.

Editora Abril, Saraiva, Cultura, todas estão em processo de recuperação judicial. Em pouco tempo, o faturamento estrondoso que tinham desmoronou. A revista, o jornal, o livro físico simplesmente começou a desaparecer do hábito da população.

O Resultado? Falta de liquidez para honrar os compromissos. Demissões e transformação. Hoje, com o avanço dos blogs, dos portais de notícias digitais e dos E-books, a sociedade vai experimentando uma nova forma de leitura.

As pessoas, aos poucos vão substituindo a informação impressa pela informação digital. Livros são lidos no celular, notícias também, curiosidades também. Se, em menos de sete anos, o smartphone foi capaz de quebrar esse setor, o que diremos daqui 10 anos?

 

O varejo de produtos físicos também está sob ameaça

Assim como o mercado editorial, outros mercados irão desaparecer em pouco tempo. Foi o caso das videolocadoras, que reinaram soberanas até 2010 e desapareceram em um simples passe de mágica. O Motivo? Netflix.

Esse foi um exemplo clássico de revolução digital em um setor. Também, vimos outros impérios começarem a ruir, como no caso dos táxis, que aos poucos vão desaparecendo com a chegada do Uber.

O telefone, que na década de 80 e 90 tinha linhas vendidas a mais de 1 mil reais, vai desaparecendo. Talvez, em dez anos ninguém mais saiba o que é ouvir o bip de um telefone ao colocá-lo no ouvido.

O segmento de eletrônicos também está começando a sentir os efeitos do crescimento do E-commerce. Hoje, os negócios realizados pela internet de compra e vendas de equipamentos eletrônicos está crescendo sobremaneira.

Em um futuro não tão distante, lojas de celulares, baterias, e outros produtos começarão a desaparecer. O que restará dessas lojas será apenas a assistência técnica, que por enquanto ainda não consegue ser realizada por um robô virtual. Por enquanto.

 

Setores tradicionais do varejo também se transformarão

Como vimos, inúmeros setores desaparecerão em pouco tempo com o abrupto crescimento do E-commerce. E como ficará os setores tradicionais do varejo? Supermercados, Drogarias, Lojas virtuais de roupas e calçados, Lojas de móveis e eletrodomésticos?

Sem dúvida alguma, esses setores também sentirão as mudanças. Contudo, serão um dos últimos a desaparecer da beirada da calçada. Isso porque, produtos alimentícios e farmacêuticos, exigem uma logística bem mais complexa de abastecimento.

Principalmente no caso farmacêutico, onde muitas pessoas ainda necessitam consultar-se com o profissional de farmácia para saber qual remédio tomar. Todavia, o setor de eletrodomésticos será um dos primeiros a se transformar.

As grandes lojas que estamos acostumados hoje serão facilmente substituídas por pequenas lojas, até simplesmente desaparecerem. Isso porque, comprar móveis, e eletrodomésticos é bem mais fácil pela internet.

As grandes redes, passarão a ter centros de distribuição estrategicamente alocados para suprir a demanda de determinadas regiões. As compras serão online, e as entregas serão rapidamente feitas por essas grandes redes.

O Magazine Luiza, uma das maiores do segmento já vem investindo em mudanças. As novas lojas da rede, são todas pequenas e, digamos, semi virtuais. Isso porque um atendente ajuda a pessoa a escolher o produto pela internet. Realiza o pedido, e esse é entregue diretamente na casa da pessoa.

Com o tempo, as pessoas não mais precisarão de ajuda para realizar essas compras. Fazendo-as diretamente pelo celular, e essa ajuda, semi virtual, simplesmente irá desaparecer.

O comércio de roupas e calçados, apesar de mais tardio, também não ficará para trás. E já começamos a ver avanços nesse sentido, com lojas exclusivamente virtuais como no caso da Netshoes.

 

A transformação já começou

Como podemos notar, o e-commerce irá transformar o varejo nos próximos dez anos. A inteligência artificial, irá simplesmente substituir inúmeras profissões, mudando inclusive o layout das cidades.

Estamos vivenciando, apenas o começo dessas mudanças, vivenciando apenas o início dessa nova Era que começou em 1968 com a invenção da internet, e caminhou a passos lentos até entrar no século XXI.

Empresas, precisarão se reinventar, investir largamente em tecnologia, mudar o seu formato logístico, investir maciçamente em Marketing Digital, e também na venda online dos seus produtos se quiserem se manter no mercado.

Um Jornal que entendeu a dinâmica em 2012 não precisou baixar as portas. Simplesmente reduziu seus custos, encerrou a produção de impressos, e investiu em um portal de notícias online. Se aperfeiçoou em técnicas para aparecer nas primeiras posições do Google, aprendeu a faturar online, e sobreviveu.

Todavia, um jornal que não entendeu a transformação, está lutando na justiça, acreditando em uma recuperação judicial que jamais dará resultados. Porquê? O impresso simplesmente desaparecerá.

Grandes empresas de papel e celulose, que fiquem atentas, ou também estarão com os dias contados. Pois, é bem possível que futuramente, a alfabetização se dará diretamente nos produtos eletrônicos.

E se você não quer ver o seu negócio simplesmente desaparecer ou falir, a hora é agora. Investir em uma loja virtual, e aperfeiçoar-se no marketing digital é o caminho para continuar vivo em um mercado que se transforma diariamente.


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102
redacao@maxnoticias.com.br

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo