Cuiabá (MT), 24 de junho de 2019 - 09:51

? ºC Cuiabá - MT

Noticias

10/06/2019 11:23

Juiz: membros da FMC cogitaram mudar para grupo de Arcanjo

Com medo da falência da suposta organização criminosa “FMC Ello”, que seria chefiada pelo empresário Frederico Muller Coutinho, alguns de seus integrantes cogitaram mudar para a organização rival, "Colibri", que teria como líderes João Arcanjo Ribeiro e o seu genro, Giovanni Zem Rodrigues.

O interesse foi descoberto em uma interceptação telefônica feito pela Polícia Civil durante as investigações que culminaram na Operação Mantus, deflagrada no último dia 29 de maio.

A ação levou a prisão de 33 pessoas envolvidas com lavagem de dinheiro e jogo do bicho em Mato Grosso, por determinação do juiz Jorge Luiz Tadeu, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

Na decisão do juiz Jorge Tadeu, consta uma conversa entre Laender dos Santos Andrade e Edson Nobuo Ybumoto, apontados como membros da FMC Ello, onde relatam uma “sangria desatada" de Frederico em retirar dinheiro do caixa, o que poderia levar à falência da “empresa”.

Segundo eles, em apenas um mês, o empresário retirou R$ 150 mil da FMC Ello, deixando o caixa praticamente vazio para quitar os prêmios da jogatina.

Os integrantes afirmam no diálogo que a organização Colibri tinha "mais nome" do que a FMC Ello e que, com Arcanjo solto, o negócio começaria a "fluir".

Destacaram, ainda, que os salários eram melhores e pagos em dia, além de que os prêmios seriam "rigorosamente" quitados.

Do citado diálogo, extrai-se também que Laender preocupado com a 'sangria' desatada de Frederico de retirar dinheiro do caixa, o que poderá levar à falência da Empresa Ello, está pensando em conversar com os integrantes da organização "Colibri" e ouvir a proposta da concorrência, visto que esta organização quita 'rigorosamente' os prêmio

Conforme as investigações, Laender tinha a função de suporte e captação de clientes da FMC Ello em Rondonópolis (a 212 km de Cuiabá). Já Edson era gerente da suposta organização em Tangará da Serra (a 240 km de Cuiabá). 

“Dentre estes diálogos, podemos destacar a conversa travada entre Laender e Edson, no dia 28/02/2018, integrantes da organização "Ello", na qual os interlocutores relatam que a pessoa identificada por 'Kelly' é quem gerencia tudo do Arcanjo, em Rondonópolis, sendo ainda responsável pelo repasse financeiro à Giovanni”, diz trecho da decisão.

“Do citado diálogo, extrai-se também que Laender estava preocupado com a 'sangria' desatada de Frederico de retirar dinheiro do caixa, o que poderá levar à falência da Empresa Ello, está pensando em conversar com os integrantes da organização 'Colibri' e ouvir a proposta da concorrência, visto que esta organização quita 'rigorosamente' os prêmios”, pontua a decisão.

Veja a transcrição do diálogo:

Edson - Eu entendi, que, por exemplo, se o cara tiver duas máquinas da concorrente é pro cara devolver a máquina pro concorrente.

Laender - Cê sabe que em nome, eles têm mais nome que nós né?

Edson - Sim!

Laender - E agora com o homem solto, aí que o povo pensa que vai fluir o trem de novo né, ele mandou aquelas mensagem lá, negócio da polícia, que não pode fingir trabalhar de carteira assinada, não sei o que... eu acho que isso aqui é medo sabia... que que cê acha?

(...)

Laender - Tá, com o c* na mão... eu vou te dá uma bomba agora.

Edson - Hum

Laender - O Giovanni vai tá aqui em Rondonópolis hoje.

(...)

Laender - Só que ai eu tô pé, entendeu, tô a pé, tô com uma moto dum amigo meu aqui e tal, e eu não vou apresentar, chegar num cara aqui que joga fez mil por semana, dono de empresa, chegar e... de moto, não vou fazer isso, aí eu apresentei o Gleison, fui lá apresentei pro Gleison lá, o Gleison foi lá chamou o cara tal, o cara tá indo, e aí tem, eu apresentei um cara que ia tocar o negócio era o Abraão, esse cara é influente com pobre, com rico, com bandido, tudo quando é corre, o cara... aí fez uma proposta pra eles "oh, eu rodo vinte mil por dia, vocês me pagam dez por cento por mês, não preciso de salário, se não rodar, se o cálculo que eu fazer não der certo, se o cálculo que cês fazer no final do mês não der vinte mil por dia vocês não precisa me pagar nada, mas se der vinte mil bruto por dia, vocês me pagam incluindo os vinte mil por dia", eles não quis ... eles não quis, aí  o Abraão, eu que indiquei o Abraão, o Abraão foi falou assim "negócio é o seguinte", é...a Kelly que gerencia tudo aqui do Arcanjo aqui tudo, e aí repassa pro Giovanni, aí ele falou assim "o negócio é o seguinte, cê... se eu te fazer uma proposta você vai? eu falei "depende aí", aí ele falou assim, "O Giovanni vai tá aqui hoje", porque agora é que tá, tem uns dois mês que o Giovanni tá dando um apoio pro povo aqui entendeu.

Laender - Tem umas maquininha tal, e tá dando um apoio pro povo aqui, tipo assim, prêmio aqui não passa de cinco dias, não passa, preminho de 400 real se cê ganhar hoje amanhã tá recebendo, entendeu, cê tá recebendo aqui, porque tá todo mundo recebendo, e o nosso aqui o... vice, tá fei o trem, e aí ele falou assim "sério mesmo Laender, se cê quiser eu vou apresentar, não sei se você vai trabalhar, se cê quiser", falei "não, vamo ver", aí eu peguei, aí eu peguei.

Edson - Eu não sei se é verdade, mas o Denis falou assim 'Edson só esse mês ele já pegou cento e cinquenta mil"... esse mês...

Laender - É

Edson - Esse mês de fevereiro não tem, ele já sacou, ele já sacou mais, ele já sacou cento e cinquenta mil do jogo, porra cara é dinheiro pra caralho véi.. aí eu até comentei com ele "pois é né cara", aí... falei para ele essa coisa cara, ai todo mundo né, todo mundo trabalha chateado.. aí ele falou não, ele falou que é ciente cara, porque assim, porra ele aperta o serviço de todo mundo, entendeu, mas o dele não.

Laender - Eu não vou mexer com isso não... porque tipo assim sabe, é muita palavra e Dom é muito, ele acha que ele é o cara mais rico do mundo, e aí... é doido é, o Gleison mudou muito aqui moço, eu cheguei aqui é ele... o negócio dele, ele tá igual a Indi, f* o trem, quer pagar é dinheiro pro Dom, rapaz aquele dia que eu te falei lá, ele pegou mandou, o Dom saiu com três mil no outro dia mandou mais mil e quinhentos, no outro dia mandou quinhentos na conta de uma mulher lá, e essa semana mandou mais dois mil uai, e a gente tem cinco mil de prêmio aqui pra pagar desde semana passada e ele nem faz questão.

(...)

Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto/ Alai Ribe

Frederico e Arcanjo

O empresário Frederico Coutinho e o ex-comendador João Arcanjo Ribeiro

Laender - Aí... três cara já entregou a máquina, a mulher que, a mulher que mais vende chamou eu pra conversar ontem, falou Laender "aí o quê que eu faço, os trem aqui tá, eu vendo muito eu consigo pagar, eu pago prêmio de sete mil com dois dias eu vendo, eu vendo três mil aqui eu pago, dentro do limite, mas tem muito tempo que ele não trás dinheiro aqui pra mim"... aí, eu falei, "ah tem que ver", não se eu falar assim "entrega a máquina", não tá feio, dá um preminho de noventa mil, oitenta mil aí, quem vai pagar é ocê, cê vai ter que trabalhar com a máquina pra pagar, então o prazo que ele estimulou aí de três quatro dias ele não vai pagar não, deu vontade de falar sabe, mas eu não falei nada não, e se o Giovanni vim falar, conversar ou mandar alguém, que eu acredito que não vai conversar comigo vai mandar alguém, vai falar assim "lá em Tangará e aqui, aqui assim cê, você, você adquire uns clientes pra nós".

Laender - E se eu pegar e abrir a boca aqui, eu acho né, se eu abrir a boca aqui e falar assim "oh gente, eu não tô mais trabalhando com, com a Elo, e agora tô trabalhando com a Colibri", só deu fazer isso, dez terminais aqui entrega automaticamente, dez entrega a máquina e vem pra mim onde eu tô, dez só deu fazer isso, eu não preciso chamar, eu não preciso chamar, dez já entrega.

A operação 

Conforme as investigações, os dois grupos disputavam "acirradamente" o espaço do jogo do bicho no Estado.

Segundo o delegado Luiz Henrique Damasceno, da Delegacia Fazendária, a investigação começou em agosto de 2017, quando a Polícia Civil recebeu uma denúncia - de um colaborador que não quis se identificar - sobre a permanência e continuidade do jogo do bicho em Cuiabá. 

No total, a operação cumpriu 63 mandados judiciais, sendo 33 de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão domiciliar. 

As ordens judiciais foram cumpridas em Cuiabá, Várzea Grande e em mais 5 cidades do interior do Estado. 

Arcanjo foi preso na sua residência e Giovanni, no aeroporto de Guarulhos (SP), com apoio da Polícia Federal. Já Frederico foi preso em seu apartamento. 

Todos foram indiciados e podem responder pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, contravenção penal do jogo do bicho e extorsão mediante sequestro, cujas penas somadas ultrapassam 30 anos.


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102
redacao@maxnoticias.com.br

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo