Cuiabá (MT), 11 de dezembro de 2017 - 18:39

? ºC Cuiabá - MT

Noticia

10/10/2017 17:12 G1MT

MP pede bloqueio de bens Jayme Campos (DEM) no valor de R$ 1,3 milhão

Ministério Público Estadual (MPE) requereu à Justiça o cumprimento da sentença do ex-prefeito e atual secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, Jayme Campos (DEM), que foi condenado em 2007 a pagar multa civil no valor de R$ 1.392,017,80 por ter feito autopromoção às custas de realizações da administração pública enquanto prefeito daquele município, entre os anos de 2000 e 2004.

Em caso de não cumprimento da decisão, o MP solicitou a penhora dos bens do ex-prefeito até o valor do pagamento total da multa, que deverá ser revertida ao município. Ao G1, o advogado João Celestino, que faz a defesa de Jayme Campos, afirmou que aguarda intimação para se manifestar sobre o valor cobrado pelo MP, pois não acredita que o valor está correto.

Segundo consta na sentença proferida em dezembro de 2007 pelo juiz Rodrigo Roberto Curvo, da 3ª Vara Especializada de Fazenda Pública, Jayme Campos aproveitou-se de atos da administração pública - como inauguração de obras, repasse de verba pública, entrega de materiais para construção e entrega de cobertores à população carente - para promover a sua imagem.

Conforme a denúncia feita pelo MP, Jayme ainda divulgava tais atos em anúncios pagos na imprensa e por meio do site institucional da prefeitura. Ele ainda foi acusado de utilizar a "marca" pessoal dele nos bens públicos.

"A conclusão a que se chega é que o requerido praticou ato de improbidade administrativa, ao promover sua imagem, à custa do erário municipal, violando, desta forma, os princípios constitucionais da moralidade e da impessoalidade", afirmou o magistrado, na sentença, ao condenar o ex-prefeito ao pagamento de multa no valor de 20 vezes o salário que ele recebia como chefe do Executivo.

No requerimento feito à Justiça para a liquidação da sentença, o MP alega que, caso o pagamento não seja feito em 15 dias, seja efetivada a penhora on-line, via Bacenjud, dos bens de Jayme.

 

“Não sendo possível a efetivação da penhora on-line, requer-se que a penhora incida sobre tantos bens bastem para o pagamento do montante atualizado acrescido da multa de 10%. Em caso do devedor não ser localizado, sejam arrestados os bens necessários para a garantia da execução”, afirmou o MP.

O MPE requereu, ainda, a realização de pesquisa no sistema Renajud a fim de verificar a propriedade de veículos em nome do ex-prefeito que possam ser penhorados e, em caso de não pagamento dos valores, que o nome de Jayme Campos sejainserido no cadastro de inadimplentes.


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102
maxnoticiascontato@gmail.com

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo