Cuiabá (MT), 21 de setembro de 2020 - 21:12

? ºC Cuiabá - MT

GOVERNO MT

19/06/2020 15:40

Reunião para discutir emendas da Reforma Previdência tem tapa na mesa e deputado insatisfeito

Não estão fáceis as tratativas entre Assembleia Legislativa, os servidores público de Mato Grosso e o Palácio Paiaguás no que diz respeito à reforma da Previdência. Na reunião desta sexta-feira (19), no Colégio de Líderes, alguns deputados não entraram em consenso e chegaram a deixar a reunião por conta da "falta de sensibilidade" por parte do grupo governista, liderado, na reunião, pelo deputado Wilson Santos (PSDB). 
Há quem diga que essa pauta da Reforma da Preferência será a primeira defendida pelo próximo líder do Governo, pois apenas Wilson falou em nome do governador. Mesmo negando ser o próximo indicado ao cargo, já prevendo o desgaste de Dilmar Dal Bosco (DEM), atual líder do governo, o tucano chegou a dizer na reunião que a culpa desse projeto do governador Mauro Mendes (DEM) ser tão "amargo" é dos próprios servidores, que não pagaram a previdência no passado, e por isso tem que ser feito agora. A declaração incomodou os parlamentares ligados ao funcionalismo público.
Conforme informações de fontes que estavam na reunião, a fala de Wilson Santos foi a causadora do desentendimento entre deputados. Após a declaração, teve, inclusive, tapa na mesa e argumentos que não deixaram o parlamentar tão feliz. 
O deputado João Batista (Pros), que é líder da Comissão da Previdência da Assembleia Legislativa, respondeu Wilson. "Quem roubou a Previdência foram os políticos do passado. Assaltaram os cofres e agora querem colocar culpa nos servidores. Eu sou servidor e sei do que estou falando". 
O deputado Paulo Araújo (Progressistas), que é servidor público de carreira, também não gostou da fala de Wilson e deixou a reunião. Além disso, o presidente do MT-Prev foi embora insatisfeito. Ele terá uma nova reunião com o governador para pedir que a situação se ajeite de maneira que os dos lados sejam contemplados. 
A principal reivindicação é quanto ao período trabalhado. A Assembleia e os servidores querem que mulheres servidoras possam se aposentar aos 57 anos e homens aos 60. A proposta do governo é que mulheres se aposentem aos 60, e homens aos 65 anos. 
Quanto ao desconto da alíquiota para a aposentadoria, não teve jeito. A partir desse mês, já serão descontados 14% dos servidores da ativa e 11% de quem é aposentado. 
A grata surpresa da reunião, ainda conforme as fontes, foi a presença do deputado licenciado Allan Kardec (PDT), que é servidor público, porém atualmente participa do alto escalão do governo. 
Allan disse que pretende voltar à ALMT para participar da votação da Reforma da Previdência, porém não garante votar conforme pede o governador. "O Allan disse que irá votar com o governo se houver flexibilização nas emendas. Da forma que o projeto está, ele vota com o servidor. Mesmo sendo secretário de esportes. Ele garatiu isso. Romoaldo, que faz parte da base governista, deve deixar a cadeira para que Allan poss engrossar o coro dos servidores", disse a fonte. 
A votação em primeira da PEC da Reforma da Previdência deve acontecer na segunda-feira (22), mas, por enquanto, nenhuma emenda foi definida. O pedido do governo é de que a proposta seja aprovada em primeira votação, para que depois as emendas sejam ingressadas. Essa proposta, por outro lado, não agrada boa parte dos parlamentares. 
Se não houver consenso das ideias até segunda-feira, a sessão de votação deve ser passada para quarta-feira (24). O deputado Eduardo Botelho (DEM), que é presidente da AL, deve fazer a ponte entre Palácio Paiaguás e plenário da Assembleia.  

Fonte: olhardireto.com.br

Publicado por: Marcos  Davi Andrade


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102

Patricia Bueno Mussi
redacao@maxnoticias.com.br

 

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo