Sem uma distração terrível ou uma falha abominável o resultado não se modificaria. E, bem aos poucos, o elenco do Napoli se entusiasmou, começou a levar riscos à meta de Buffon. Apagadérrimo, de novo, o CR7, aos 92’ fulgurou Buffon ao defender, cara-a-cara, uma testada de Maksimovic, e se desmoralizou Elmas, ao desperdiçar o rebote, a meta vazia, chute no poste. Em tal cenário, se tornou inexorável o bingo dos penais. Drama. E, na tensão da loteria, seria Meret o herói salvador. Catou o primeiro de Dybala. Daí, finito.