Cuiabá (MT), 18 de julho de 2018 - 00:55

? ºC Cuiabá - MT

Espaço Fitness

30/04/2017 12:30

Rótulos de Alimentos Enganosos

Não é novidade que os alimentos processados possuem aditivos alimentares que podem ser prejudiciais para a nossa saúde, mas além disso, devemos ter cuidado ao escolher um produto só porque sua embalagem diz que ele é saudável.

Quando vamos ao supermercado, encontramos uma enorme variedade de produtos muito parecidos, mas feitos por empresas diferentes. E é essa concorrência que vai fazer com que as empresas tentem enganar os consumidores através da embalagem.

Por exemplo, muitos rótulos de alimentos vão dizer que aquele produto é livre de açúcar, mas ao olhar os ingredientes podemos nos dar conta de que ele contém adição de xarope de milho ou maltodextrina, nomenclaturas diferentes para substâncias com o mesmo efeito negativo do açúcar.

 

Pensando nisso, trazemos algumas dicas de como entender corretamente os rótulos de alimentos para que você não acredite em tudo o que está escrito ali.

Rótulos de alimentos enganosos

Não é novidade que o marketing é uma arma muito poderosa das empresas e pode nos fazer comprar coisas das quais não precisamos, entre outros milagres da publicidade.

Ao colocar em seus rótulos grandes letras indicando que este é um produto natural, com baixas calorias, zero de gordura, entre outras práticas já comuns no mundo do marketing de alimentos, muitas pessoas acreditam nestas mensagens e não procuram saber se aquilo é realmente verdade. 

Um estudo recente feito pela Universidade de Brasília aponta que 19% dos rótulos de alimentos pesquisados se utilizam de imagens, símbolos e mensagens enganosas que pretendem induzir o cliente a comprar o seu produto.

Foram analisados 1789 rótulos de produtos de diversas empresas, pequenas e grandes, na intenção de encontrar contradições em suas embalagens, seja no texto, nas imagens ou nas informações nutricionais.

O critério utilizado para dizer se algum produto estava mentindo na embalagem foi seguir as especificações da Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que é o órgão responsável pela regulamentação dos rótulos de alimentos no Brasil.

Ao comprar um iogurte, por exemplo, você pode se deparar com os dizeres “bebida láctea”. Isso quer dizer que, na verdade, aquele produto não é um iogurte, alimento probiótico que é tão saudável para a nossa saúde, e sim uma bebida feita de leite industrializado, como qualquer outra.

Outro exemplo é o “néctar misto” em embalagens de sucos. Muitas vezes você pode pensar que está tomando um suco de uva, mas na verdade se trata de um néctar misto de uva e maçã, em que há mais maçã que uva, apesar da coloração roxa do produto.

Mais um exemplo clássico são os biscoitos que mostram em sua embalagem silhuetas esbeltas e alimentos saudáveis, como a aveia, mas na verdade é um alimento cheio de açúcar e farinha branca refinada, alimentos prejudiciais e que não vão ajudar em nenhuma dieta.

1. Procure os asteriscos

Alguns produtos vão dizer que contêm zero açúcar, baixíssimas calorias ou outras informações feitas para enganar, mas muitas vezes estas afirmações vêm acompanhadas de um asterisco.

Em algum lugar da embalagem deve haver informações em letras miúdas sobre o que este asterisco quer dizer e muitas vezes ele pode indicar uma pegadinha do anúncio em letras grandes.

2. Não leia apenas a parte da frente das embalagens

É justamente na parte da frente de uma embalagem que estão as informações mais enganosas nos produtos alimentícios. Esta é uma jogada de publicidade que visa roubar a atenção dos cliente em uma prateleira de mercado, com tantas outras opções parecidas com a do seu produto.

Produtos que têm uma embalagem que parece ser saudável são mais consumidos do que outros. Por isso, mesmo que os ingredientes sejam os mesmos de outro produto, se um deles tiver uma cara mais saudável, as chances de ser comprado são maiores.

Uma dica valiosa é ignorar a parte frontal dos rótulos de alimentos e se concentrar mais na tabela nutricional e a lista de ingredientes que ficam normalmente no verso da embalagem.

3. Sempre verifique a lista de ingredientes

A lista de ingredientes pode revelar muitas das mentiras que os rótulos de alimentos podem te oferecer. Isso porque a lista deve contar com todos os ingredientes do produto em ordem decrescente, isso é, o primeiro ingrediente da lista é o que mais consta no produto.

Alguns alimentos que possuem uma embalagem com cara de saudável, mas que o primeiro ingrediente é o açúcar, é claramente um exemplo de rótulo de alimento enganoso.

Os primeiros ingredientes serão os mais presentes naquele produto, por isso evite comprar alimentos que tenham como primeiros ingredientes o açúcar, a farinha e qualquer tipo de gordura ou óleos hidrogenados.

4. Nomes diferentes para o açúcar

As empresas produtoras de alimentos processados fazem o que podem para omitir a presença de alguns ingredientes mal vistos, como é o caso do açúcar.

Por isso, eles vão usar, na lista de ingredientes, nomes diferentes para o açúcar, como xarope de milho, xarope de malte, frutose, glicose, maltodextrina, maltose, entre outros, mas que são tão prejudiciais para a nossa saúde quanto o açúcar em si

Na lista de informações nutricionais, muitas vezes vemos valores de calorias e outras substâncias do alimento que não nos assustam. Mas isso vai variar, é claro, da porção do alimento.

Por exemplo, em uma embalagem de 100 gramas, normalmente o produtor não vai colocar a informação nutricional de todas as 100 gramas daquele alimento, mas sim de uma porção muito reduzida.

Este é o caso da maioria das embalagens, por isso atente-se muito para o tamanho das porções e faça as contas de qual é o valor real de cada item da lista nutricional para toda a embalagem e você verá que estava sendo enganado.

6. Cuidado com afirmações como “light”, “sem adição de açúcar”, “baixo teor de gordura”

Principalmente quando estão na parte frontal dos rótulos de alimentos, estas informações são usadas justamente para chamar a atenção dos clientes na hora da compra, mas nem sempre são totalmente verdadeiras.

Produtos “light” são aqueles com teor reduzido em algum nutriente (açúcares, gorduras totais, gorduras saturadas, colesterol ou sódio) o quando é baixo ou reduzido em valor energético. Para dar mais sabor a estes alimentos, muitas vezes é adicionado açúcar ou outros ingredientes prejudiciais à saúde.

No caso de “sem adição de açúcar” a chave é a boa interpretação de texto. Talvez o produto realmente não tenha adição de açúcar, mas contenha naturalmente doses grandes do alimento. Além disso, pode ser que o açúcar esteja mascarado com outros nomes na lista de ingredientes.

O “baixo teor de gordura” pode vir às custas da adição de açúcar, como no caso de produtos light.

Conclusão

Como podemos ver, é muito difícil confiar nos rótulos de alimentos, portanto quanto mais informações tivermos sobre os ingredientes dos produtos industrializados, melhor.

Criar o hábito de ler as embalagens e realmente entender o que cada ingrediente significa é muito importante. Mesmo que você escolha comer um produto que quis te enganar na embalagem, é satisfatório saber que você está fazendo uma escolha consciente. Muitas vezes, com o passar do tempo, este hábito vai te levar a consumir produtos verdadeiramente mais saudáveis.

Fonte:mundoboaforma

 

 


Fale Conosco

Fone (65) 3023-2102
redacao@maxnoticias.com.br

 

Assessoria Jurídica.

Marcos Davi Andrade

Copyright 2015 - Todos os direitos reservados.
Max Notícias.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo